Quantas pedras mais?

Quantas pedradas teremos que assistir mulheres e meninas recebendo em casa, nas ruas, na vida? Que a desnaturalização da violência contra a mulher comece em nossa casa, igrejas e se estenda pela ruas. Onde estão os muitos dos seus acusadores são aqueles que deviam protegê-las.

 

Minhas queridas amigas e amadas do Senhor, hoje vamos falar sobre um assunto atemporal de suma importância. Para começar, como é de praxe, irei vos contar uma história de muitos anos atrás sobre uma mulher que traiu seu marido. Saiba Mais!

O Poder da Oração de uma Mãe

Desafiada a reflectir sobre este tema, o meu primeiro pensamento foi que este título deveria ser subdividido. Antes de se falar no poder da oração de uma mãe, tem que haver uma mãe que ore. Mas, então, as mães não oram? Nem todas. Já me deparei com mães que não queriam assumir o compromisso de orar pelos seus filhos. Não se dá a importância, a  ênfase à oração = intercessão pelos filhos. Eu creio que só pode ser falta de conhecimento. E isso é grave! “O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento (…).” Oseias 4:6. Os nossos filhos estão a correr sérios riscos por falta de conhecimento da nossa parte!

Oração = intercessão Saiba Mais!

A verdade, um valor cada vez mais escasso

A verdade gera liberdade de espírito. Mas como ser livre num tempo declarado de Pós-verdades?

 

Há uns tempos atrás um amigo desabafava que vivemos no tempo da “confusão” e da “desinformação”.

Recentemente lia numa coluna de um jornal: “Entrámos num mundo novo… Trata-se da pós-verdade. Fixem: pós-verdade. Um mundo em que a verdade não conta, em que não é um valor, (…). Haverá um tempo em que desejaremos silêncio, afastamento, um pouco de bondade, até um pouco de um Deus desconhecido. Mas entretanto devemos estar precavidos: a verdade já foi.” (Por Francisco José Viegas no Correio da Manhã) Saiba Mais!

Você sofre do mal do século?

As imposições para uma vida bem sucedida tanto secular como eclesiástica geram em nós ansiedade e medo, sintomas que podem culminar numa forte depressão, gerando uma dor profunda na alma, paralisando a nossa vida.

 

Segundo pesquisas, o mal do século é composto pela “parceria” entre o medo, a ansiedade e a depressão, e os consultórios dos terapeutas comprovam bem essa realidade. Somos atacados pelo medo de uma forma subtil: Temos medo do futuro, da crise, do fracasso, da reprovação dos outros, medo de não superarmos as expectativas da família, dos superiores, etc. Enfim, são tantos os medos. Saiba Mais!