Ele endireita a tortura da nossa alma

Os tempos são outros. Gasta-se mais tempo com coisas do que com

pessoas. Valemos por aquilo que aparentamos ser ou pela possibilidade do que poderemos oferecer. Temos que ter o cuidado de ninguém nos convencer que valemos menos que aquilo que Deus pagou: seu próprio

filho!

 

Vivemos num mundo de pessoas deformadas! Sim, deformadas! Cruzamos com tantas pessoas sem ao menos percebermos que por trás do sorriso, do rosto bonito e bem produzido, de um corpo escultural e saudável, há uma pessoa em grande sofrimento e angústia. A dor da alma nem sempre é

visível aos que andam tão ocupados com a sua própria vida. Só vê a dor do outro quem se importa, quem se doa, quem está pronto para ouvir. Saiba Mais!

Há Esperança

Não é a barreira que gera a fé, mas a fé que remove as barreiras. Um passo, um toque, uma declaração… talvez esta seja a distância entre desejar e o alcançar.

 

Ela não tinha forças para enfrentar uma multidão de olhares acusadores, ela estava muito enferma. A sua enfermidade era sim, no seu corpo. Ela sofria, há doze anos de uma hemorragia profunda que a debilitava completamente. Mas ela estava também enferma na alma; suas emoções estavam a sangrar, afinal, ela vivia em completa solidão. Saiba Mais!

Coração Aprisionado

O nosso coração é a porta de saída de muito do que vai no nosso interior. Ele transborda do que estamos cheios e por isso vale muito refletir sobre as emoções que temos deixado nortear a nossa vida.

 

Como está o seu coração? Repleto de marcas? Por vezes sente-se isolada, tristonha, sem saber qual o rumo a dar à sua vida? Ou a ansiedade a inibe de viver o seu dia-a-dia prazeroso? É esta a imagem que concebo quando penso na expressão coração aprisionado. Um coração que não se pode exprimir verdadeiramente, que está amarrado. Uma carga emocional elevada fá-lo chorar? As más influências levam-no a direções perigosas ou não o deixam clamar? (Provérbios 15:13). Saiba Mais!