Uma mulher, uma vida, uma história para contar

Na caminhada serena do fim da tarde, no banco do jardim ao virar a

esquina, uns braços robustos envolviam a sua amada, mulher acarinhada, que desperta sensações, mulher esbelta que enfeita a vida de um homem com a sua harmonia constante, que desperta sonhos puros de uma vida a dois, na junção mais bela coroada por Deus.

 

Através da janela limpa da casa amarela, vi o afago de gestos melodiosos daquela mãe virtuosa nos cabelos e nos rostos dos seus filhos. Limpa-lhe as lágrimas, acalma o ruído do seu estômago. Esforça-se para que nada lhes falte. Sente o que eles sentem, pressente o que fazem. Preocupa-se com o seu caminhar, controla os seus passos, acerta os seus desvios.

Decepciona-se com as suas atitudes. Alegra-se com as suas escolhas. Umas vezes sim, umas vezes não. Ser mãe é ter uma inquietude permanente, um amor constante, uma azáfama eterna. Saiba Mais!

Especial Mãe

A moderna mulher e mãe com multifunções e a falta de tempo. Como se cuidar e ficar linda?

 

Perguntei a uma amiga: Como mãe o que você gostaria de ler em artigo de beleza? Ela respondeu-me que gostaria de ler sobre produtos práticos, aqueles tudo em um! Como todas as mulheres multifunções! As mulheres modernas acumularam funções, no trabalho, em casa, na sociedade, com tantas coisas para realizar fica difícil ter tempo para cuidar se. Foi a pensar em você mãe que este artigo foi escrito!! Saiba Mais!

Mães de Oração

Quando se fala em ‘Déboras’ ou no ‘Desperta Débora’, logo surge a

expressão ‘mães de oração’ e a consequente pergunta: Mas o que é o

Desperta Débora? O que são mães de oração? E começa a explicação…

 

O ‘Desperta Débora’ é essencialmente um ministério de intercessão.

Interceder pelos nossos filhos, e por aqueles que adoptamos como filhos de

oração e pelajuventude portuguesa. Oramos por uma juventude comprometida com Cristo: A Geração Compromisso. É só isso?
Não. Assumir-se como Débora é assumir um compromisso de orar, 15

minutos por dia, por seus filhos. Compromisso? O compromisso não é com o Desperta Débora. É com o Senhor e com os seus filhos. No entanto é um compromisso assinado. Mais que no papel, oramos para que seja assinado no coração. Normalmente aquilo que assinamos, adquire um peso maior, porque o nosso nome está lá! A mãe que se compromete a esta oração diária, torna-se uma ‘mãe de oração’. Saiba Mais!

Quantas pedras mais?

Quantas pedradas teremos que assistir mulheres e meninas recebendo em casa, nas ruas, na vida? Que a desnaturalização da violência contra a mulher comece em nossa casa, igrejas e se estenda pela ruas. Onde estão os muitos dos seus acusadores são aqueles que deviam protegê-las.

 

Minhas queridas amigas e amadas do Senhor, hoje vamos falar sobre um assunto atemporal de suma importância. Para começar, como é de praxe, irei vos contar uma história de muitos anos atrás sobre uma mulher que traiu seu marido. Saiba Mais!

Mais do que a carne, mutilam a dignidade

Das muitas violências que ainda subjugam as mulheres e meninas em várias partes do mundo, qual delas poderíamos qualificá-las como a pior? Eu julgo que seja a praticada pela justiça cega que não vê os lábios silenciados pela tradição, religião e dominação.

 

No dia 6 de Fevereiro, assinalou-se o Dia Internacional da Tolerância Zero Contra a Mutilação Genital Feminina (MGF). A MGF é o nome dado a todos os procedimentos que envolvam a remoção parcial ou total dos órgãos genitais externos da mulher. Trata-se de uma prática tradicionalmente efectuada em muitos países, sobretudo em África e no Médio Oriente. A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera estas práticas nocivas para a saúde das mulheres, bem como um obstáculo ao pleno exercício da cidadania e à realização da igualdade. Este dia é uma lembrança para que todos os países lutem contra esta violação extrema dos direitos humanos. Saiba Mais!

Há Esperança

Não é a barreira que gera a fé, mas a fé que remove as barreiras. Um passo, um toque, uma declaração… talvez esta seja a distância entre desejar e o alcançar.

 

Ela não tinha forças para enfrentar uma multidão de olhares acusadores, ela estava muito enferma. A sua enfermidade era sim, no seu corpo. Ela sofria, há doze anos de uma hemorragia profunda que a debilitava completamente. Mas ela estava também enferma na alma; suas emoções estavam a sangrar, afinal, ela vivia em completa solidão. Saiba Mais!